Motorhomes NETBR » Blog Archive » 22/DEZ/09 - Bela, M√°gica e Santa Catarina

22/DEZ/09 - Bela, M√°gica e Santa Catarina

Ponte Hercílio Luz, Florianópolis Foto: Divulgação

Ponte Hercílio Luz, Florianópolis Foto: Divulgação

C√©u azul, dunas douradas, mares transparentes, cost√Ķes verdejantes. O aroma das macieiras, os vales nevados, os santu√°rios religiosos, a gastronomia t√≠pica de diversas nacionalidades, a √ļnica escola de dan√ßa do ballet Bolshoi fora da R√ļssia e a primeira praia sul-americana (Jurer√™ Internacional) com selo de sustentabilidade. Pode suspirar. Tudo isso √© Santa Catarina.

Se a praia √© seu destino final, em Florian√≥polis suas f√©rias est√£o garantidas. S√≥ na ilha de Floripa, capital do estado, h√° mais de 100 delas ‚Äď calmas ou badaladas, agrestes ou familiares, boas para o surf ou famosas pela observa√ß√£o de baleias. Arma√ß√£o, Campeche, Canasvieiras, Barra da Lagoa, Joaquina, Jurer√™, Praia Brava, Praia Mole, Santinho e Jurer√™ Internacional est√£o entre as mais procuradas. O motivo √© simples: a extensa lista de atrativos dispon√≠veis torna esses lugares incrivelmente desejados por turistas do Brasil e do mundo.

Na ilha do Campeche, por exemplo, curiosos vest√≠gios revelam tra√ßos da antiga civiliza√ß√£o que habitava o Arquip√©lago de Santa Catarina. √Č a maior concentra√ß√£o de inscri√ß√Ķes rupestres de todo o litoral sul do Brasil. As oficinas l√≠ticas - onde os nativos produziam, afiavam e poliam instrumentos de pedra, entre dois e cinco mil anos atr√°s - e os sinais gravados sobre rochas se misturam √†s belezas naturais. Entre os 21 s√≠tios arqueol√≥gicos encontrados na regi√£o, um deles possui um ponto magn√©tico que altera o comportamento das b√ļssolas. As visitas s√£o monitoradas e √© poss√≠vel praticar canoagem, mergulho livre, pesca artesanal, e nadar em cristalinas piscinas naturais do local.

Mas a beira-mar do continente n√£o perde o encanto diante de praias enigm√°ticas como o Campeche. Cada peda√ßo de Balne√°rio Cambori√ļ se transforma em uma experi√™ncia para os cinco sentidos. A bordo de um colorido parapente, √© poss√≠vel sobrevoar a Praia dos Amores e a Praia Brava, ponto de encontro de surfistas.

Se o passeio for de escuna, d√° para contornar a Ilha das Cabras e atracar na praia de Laranjeiras, onde as √°guas s√£o t√£o l√≠mpidas a ponto de deixar os peixes √† mostra ao redor da embarca√ß√£o. O charme da culin√°ria regional e a sofistica√ß√£o da gastronomia internacional est√£o reunidos em restaurantes finos, casas de iguarias t√≠picas, estabelecimentos especializados em frutos do mar, caf√©s espalhados pela orla e quiosques com todo o tipo de lanches e petiscos associados a um t√≠pico dia de praia. Na praia central da cidade, ladeada por 7 km de cal√ßad√£o na orla da Avenida Atl√Ęntica, h√° um desfile permanente de gente bonita, fam√≠lias em f√©rias, melhor idade e jovens casais.

Se a visita incluir o Parque Unipraias, complexo tur√≠stico que liga Balne√°rio Cambori√ļ √† praia de Laranjeiras, embarque num dos 47 modernos bondinhos a√©reos que levam visitantes ‚Äú√†s alturas‚ÄĚ. Eles percorrem 3,2 km a uma altura m√°xima de 240 metros do ch√£o, passando por tr√™s esta√ß√Ķes em meio √† Mata Atl√Ęntica. A vis√£o, como se pode imaginar, √© deslumbrante.

Al√©m das tradicionais maravilhas catarinenses, no alto ver√£o alguns roteiros alternativos arrebanham turistas ‚Äď e ciclistas ‚Äď para o interior do estado. Desde 2006, mais de 2,3 mil visitantes j√° percorreram os 297 km do Circuito Vale Europeu de Cicloturismo, que liga paisagens e sabores de oito pequenos munic√≠pios. Como o nome sugere, o percurso une dois prazeres: pedal e turismo, duas atividades em expans√£o no Brasil.

Segundo Celso Pacheco, diretor da Rota Viagens e Turismo, ag√™ncia instalada no munic√≠pio de Gaspar, os participantes chegam ao roteiro impulsionados pela paix√£o de pedalar. ‚ÄúS√£o, na maioria, pessoas acima de 40 anos, de todos as partes do Brasil, que costumam usar muito a bicicleta. Profissionais liberais, aposentados ou funcion√°rios p√ļblicos interessados em viver experi√™ncias e experimentar as tradi√ß√Ķes, conhecer a hist√≥ria das comunidades‚ÄĚ, define. As sa√≠das s√£o mensais, com percursos de 7 ou 4 dias, e os grupos s√£o formados por 8 a 15 ciclistas, que chegam a andar entre 40km e 50km por dia.

Quando o movimento esquenta em estradas de acesso √†s praias do estado, uma revoada de bicicletas curiosas se distancia do tumulto e segue para Timb√≥, de onde dar√£o a largada. No caminho, fotografam, experimentam as frutas da regi√£o, descansam em pontos de parada com cachoeiras e lagoas, conhecem trabalhos manuais e compram artesanato feito pela comunidade, visitam f√°bricas de cristal, e at√© participam de festas populares (quando o per√≠odo coincide). ‚ÄúO roteiro mistura hist√≥ria, cicloturismo e tradi√ß√Ķes. O pacote oferece todo o apoio log√≠stico, hospedagem, monitores e carro de apoio, seguro viagem. O turista s√≥ precisa entrar com a bicicleta e o prazer de pedalar e conhecer lugares lindos‚ÄĚ, diz Pacheco. J√° h√° sa√≠das programadas para dezembro e janeiro.

O estado tem ver√Ķes e invernos intensos. Para cada esta√ß√£o, h√° regi√Ķes focadas em diferentes atividades de turismo. Quando os term√īmetros se aproximam do zero, a vista infinita dos canyons complementam a hospitalidade das pousadas de montanha, transformando a serra catarinense em um lugar de aconchego e paz. Mas al√©m do frio que cobre as paisagens campestres de gelo, um outro atrativo merece destaque em S√£o Joaquim, ao sul estado. Uma cooperativa fundada em 1993 por um grupo de fruticultores produz, atualmente, 34 mil toneladas de ma√ß√£ a cada safra. Hoje, o estado de Santa Catarina √© respons√°vel por 54% da produ√ß√£o nacional da fruta.

TURISMO EM FAM√ćLIA

Imagine um espa√ßo com 14 milh√Ķes de m¬≤, cerca de 1.400 campos de futebol. Agora, ponha nele um ter√ßo de Mata Atl√Ęntica preservada e 2 milh√Ķes de m¬≤ em √°rea constru√≠da. Povoe com 600 mil visitantes, equipamentos de divers√£o de √ļltima gera√ß√£o, brinquedos aqu√°ticos, telef√©rico, ilha dos piratas, atra√ß√Ķes radicais, viagem de trem ao Velho Oeste, shows musicais, parque dos dinossauros e zool√≥gico tematizado com 170 esp√©cies. Pronto! Voc√™ acaba de chegar ao Beto Carrero World.

O parque √© um complexo de lazer e entretenimento considerado um dos maiores da Am√©rica Latina, com mais de 100 atra√ß√Ķes que reservam aos visitantes fortes emo√ß√Ķes. De acordo com o representante comercial Gilberto Nascimento, 40 anos, a chegada ao parque impressionou a fam√≠lia: ‚Äúa beleza, a organiza√ß√£o e a seguran√ßa do lugar s√£o confirmadas ao ultrapassar o p√≥rtico de entrada. Depois, d√° pra ver que as atra√ß√Ķes s√£o interessantes para crian√ßas, como minha filha Yasmin, que tem 6 anos, para adolescentes, como a St√©phany e a Lauren, filhas com 16 e 14 anos, e mesmo para n√≥s, pais. √Č um sonho de fam√≠lia que n√≥s realizamos juntos‚ÄĚ, conta. Gilberto e a esposa Alessandra ainda voltaram ao parque com as tr√™s filhas por mais duas vezes. ‚ÄúD√° vontade de voltar sempre!‚ÄĚ, anima-se o casal.

O Parque est√° instalado na praia de Arma√ß√£o, munic√≠pio de Penha, h√° aproximadamente 50 km de Balne√°rio Cambori√ļ. Neste ver√£o, a novidade √© o in√≠cio das opera√ß√Ķes da maior montanha russa da Am√©rica Latina, a √ļnica do Brasil onde os vag√Ķes est√£o presos por baixo dos trilhos.

FESTA DA ALEGRIA

A Oktoberfest √© sucesso desde 1987. A cada ano, re√ļne cerca de 1 milh√£o de visitantes interessados em degustar diferentes tipos de chope - mas n√£o s√≥. Em Blumenau, sede da segunda maior festa da cerveja do mundo, tamb√©m √© poss√≠vel passear pelo Museu da Cerveja, √ļnico do g√™nero no pa√≠s, vivenciar a cultura e os costumes germ√Ęnicos, preservados at√© hoje, e comprar exemplares de cristais e porcelanas internacionalmente conhecidos. Os participantes mais animados encaram o concurso de chope em metro, entram no ritmo das bandinhas e dan√ßas folcl√≥ricas alem√£s, prestigiam os desfiles de rua e chegam a seguir os “bierwagens” (carros que distribuem cerveja).

81 MOTIVOS PARA VIAJAR PELO BRASIL

Essas e outras atra√ß√Ķes do estado catarinense integram os 81 roteiros estruturados por meio do Programa de Regionaliza√ß√£o do Turismo ‚Äď Roteiros do Brasil, do Minist√©rio do Turismo. Esses roteiros contemplam 345 munic√≠pios de 113 regi√Ķes tur√≠sticas do pa√≠s.

Lançado em 2004, o programa trabalha o desenvolvimento do turismo regional em todo o país e a gestão descentralizada dos destinos. O objetivo é estruturar, diversificar e qualificar a oferta turística brasileira para inserir, de forma competitiva, o produto Brasil no mercado internacional.

Fonte: MTur



Comente aqui