Motorhomes NETBR » Blog Archive » 27/DEZ/10 – Lazer e cultura atraem turistas à cidade de Salto (SP)

27/DEZ/10 – Lazer e cultura atraem turistas à cidade de Salto (SP)

O Monumento à Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira de Salto, com 30 metros de altura/divulgação

O Monumento à Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira de Salto, com 30 metros de altura/divulgação

Localizada a apenas 100 quilômetros da capital paulista, a cidade de Salto

encanta por suas belezas, com atrações históricas e naturais. Além do Complexo Turístico da Cachoeira, revitalizado recentemente e devolvido à população, a cidade oferece atrações de grande valor histórico para todos os gostos e idades.

Um dos pontos que o turista não pode deixar de visitar é o Parque da Rocha Moutonnée, que abriga uma raridade geológica com idade estimada de 500 milhões de anos. Localizado na margem esquerda do Rio Tietê, o parque foi criado para proteger a rocha, um granito cuja superfície sofreu a erosão causada pela passagem de geleiras durante a era glacial. O parque também oferece ao visitante infra-estrutura para o estudo e o lazer, como galpão de atividades didáticas, painéis educativos, estacionamento, quiosques e lago

Outro atrativo é o Parque de Lavras, que abriga a segunda usina hidrelétrica construída no rio Tietê, em 1904. A usina foi edificada em blocos de granito e o entorno foi revitalizado por meio da implantação do parque. Nos 140 mil metros quadrados, o visitante pode conhecer as edificações da antiga usina, visitar o museu que narra a história do local e passear por trilhas na extensa área verde de mata nativa. Há ainda relógio solar, jardim das bromélias, mirantes sobre grandes rochas e lanchonete.

Bem ao lado do parque, está o Monumento à Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira de Salto. Com 30 metros de altura, é o maior monumento dedicado à Maria em todo o mundo e atualmente o segundo do Brasil, menor apenas que o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Rampas levam o visitante ao topo, de onde se tem uma visão panorâmica da cidade.

Outro destaque fica por conta do recém inaugurado Pavilhão das Artes. A grande Concha Acústica, que integra o Complexo Turístico da Cachoeira, foi estruturada para receber as mais diversificadas opções de eventos, comportando grandes espetáculos, desde festivais de música, dança e teatro até concertos sinfônicos e cerimônias cívicas. O pavilhão possui ainda toda sua estrutura vazada, permitindo a contemplação do rio Tietê e da mata da Ilha da Usina ao fundo.

Vale a pena também conhecer o Museu da Cidade, instalado no prédio erguido pela Sociedade Italiana Giuseppe Verdi, em 1903. O acervo exibe desde urnas funerárias indígenas encontradas na cidade até os teares das principais tecelagens e uma sala dedicada a imigração italiana.

No centro, o turista pode conhecer a Igreja Matriz, que abriga em um altar lateral a imagem seiscentista de Nossa Senhora do Monte Serrat. Bem em frente está a praça Capitão Antonio Vieira Tavares que é o marco zero da cidade, com coreto, monumento à fundação e feira de artesanato aos sábados.

A cidade ainda oferece aos visitantes a escultura “Palma de Ouro”, doada pelo cineasta saltense Anselmo Duarte. Conhecida por todos, hoje a escultura fica exposta no Centro de Educação e Cultura Anselmo Duarte. Ainda dentro do Centro de Educação e Cultura Anselmo Duarte, está a moderna Sala Palma de Ouro, com ótima infraestrutura e capacidade para 500 lugares, podendo receber orquestras, grupos de dança e teatro, entre outros eventos.

Para fechar o tour em Salto, o visitante não pode deixar de conhecer o Parque do Lago, localizado à margem do rio Tietê. Com mais de 200 mil metros quadrados, o local tem um grande lago natural com preservação da fauna e da flora. O espaço é ideal para a prática de esportes e possui pista de corrida, ciclovia, pista de aeromodelismo, quadras, deck panorâmico, quiosques, playground, estacionamento e lanchonete.

Entre uma atração e outra, vale a pena experimentar as tradicionais empadas fritas de Salto. Por se tratar de uma tradição culinária tipicamente saltense, a empada frita foi declarada bem de valor cultural para a comunidade local.

Serviço:

1 – Parque da Rocha Moutonnée: localizado entre as rodovias da Convenção e do Açúcar (SP-79). Visitação gratuita: segunda a segunda, das 8h às 17h.

2 – Parque das Lavras: localizado a 2 quilômetros do centro da cidade. Visitação gratuita: segunda a segunda, das 8h às 18h.

3 – Monumento à Nossa Senhora do Monte Serrat: localizado a 2 quilômetros do centro da cidade

4 – Pavilhão das Artes: localizado no Centro de Salto. Visitação gratuita.

5 – Museu da Cidade: visitação gratuita: terça a domingo, das 9h às 17h.

6 – Palma de Ouro: exposta dentro do Centro de Educação e Cultura Anselmo Duarte, localizado no Centro da Cidade. Visitação gratuita.

7 – Parque do Lago: acesso pela rotatória no entroncamento da Rodovia do Açúcar com a Rodovia Santos Dumont. Visitação gratuita de segunda a segunda, das 7h às 18h.

Fonte: Paula Saletti

Visite: www.revistaecotour.com.br



Comentaram por aqui...

  • Aline Paula August 3rd, 2012 em 1:00 pm

    Meu nome é Aline Paula, sou artista plástica, ES , membro fundadora da Academia Guaçuiense de Letras e Cultura e quero parabenizar pela matéria de Paula Saletti, porém, em todos os lugares em que pesquiso sobre o monumento de Nossa Senhora de Monte Serrat ao ler os artigos tão tem escritos sempre me entristeço ao ver que não é citado a mais importante informação.

    Qual foi o artista que fez esse monumento. Eu tive o prazer de conhecê-lo há mais de 30 anos atrás, quando eu ainda era uma criança, ele era amigo de meu pai.

    Não sei se sabem, mas seu nome é Antonio Francisco Moreira, este homem foi um grande artista, e executou vários outros monumentos inclusive em minha cidade, o Cristo Redentor,o primeiro Cristo Brasileiro , pois o Cristo do Rio de Janeiro teve suas peças importadas da frança.Esse artista é meu patrono na academia de Letras e Cultura e nunca é mensionado. Em breve estarei lançando um livro com sua biografia, e esta imagem com as fotos dele trabalhando nela estarão expostas ao mundo. É uma pena que um cidadão tão valoroso não seja apresentado á população deste lugar, principalmente através das escolas, ao estudarem sobre o municipio de Salto. Fica aí a dica, para que não continuem enaltecendo a obra sem mencionar o escultor. Abraços a todos.

Comente aqui